ESG no transporte marítimo: entenda a importância e as tendências

Compartilhe com amor, por favor:

O ESG no transporte marítimo é uma tendência que está ganhando força em todo o mundo, inclusive aqui no Brasil.

Essa sigla em inglês significa Environmental, Social and Governance, em tradução para o português significa “Ambiental, Social e Governança” e foca em ações voltadas ao meio ambiente, às causas sociais e à governança corporativa.

Esse termo surgiu em 2004, a partir de uma provocação feita pelo secretário-geral da ONU, Kofi Annan. Ele teria instado CEOs das principais instituições do mundo sobre a possibilidade de integrar questões sociais, ambientais e de governança ao mercado de capitais.

A sigla, ao contrário do que um entendimento comum e raso leva a crer, envolve muito mais do que apenas questões ambientais atreladas a mudanças climáticas ou escassez de recursos naturais.

Além destes vieses, temas relevantes e de extrema importância como ética, diversidade, inclusão e igualdade estão diretamente ligados ao ESG. 

Também envolve a busca por incentivar empresas a orientarem seus negócios e realizarem atividades que gerem impactos positivos.

Para tanto, integrando em suas estratégias ações e compromissos que visem atingir resultados positivos em todas estas frentes.

Ao implementar o ESG, é possível trazer mais sustentabilidade, transparência e igualdade para qualquer área, o que inclui a logística.

E quando falamos sobre os navios, que atravessam o mundo inteiro e têm grande relevância para a economia dos países, há algumas ações que podem ser tomadas e que fazem toda a diferença.

Continue lendo para saber mais sobre o ESG no transporte marítimo e tire suas dúvidas sobre esse conceito.

Qual a importância do ESG no transporte marítimo?

Basicamente, a ideia consiste em aplicar medidas sustentáveis, que envolvem a esfera ambiental, social e de governança.

No primeiro caso, buscam-se formas tornar a operação menos poluente, o que pode ser feito de diversas formas, como o melhor uso dos recursos naturais e a modernização dos motores para reduzir a emissão de gases.

Um exemplo é o novo limite estabelecido pela Organização Marítima Internacional (IMO), agência da ONU responsável pela regulamentação do transporte marítimo”, que estabeleceu a IMO 2023, que determina que a emissão de dióxido de carbono e enxofre de navios deve ser reduzida de 3,5% para 0,5%. A nova regra reduzirá cerca de 77% da emissão de enxofre, o que equivale a cerca de 8,5 milhões de toneladas de dióxido de enxofre, além dos resíduos formados da sua queima.

Já no aspecto social, é importante criar oportunidades para as comunidades que cercam os terminais portuários e criar vagas inclusivas.

Em Governança não podem ser esquecidas as decisões voltadas ao sucesso dos negócios, considerando sempre os aspectos éticos, trazendo mais transparência para os processos e garantindo que todas as leis e normas sejam cumpridas, por exemplo. 

A aplicação do ESG, cria oportunidades de melhoria contínua para a empresa e seus parceiros.

As tendências do ESG no transporte marítimo

O ESG ganha a cada dia novos adeptos e as empresas estão atentas a esse assunto.

A comprovação disso se dá a partir do relatório ESG Radar 2023, um estudo realizado pela empresa Infosys que mostra que os investimentos envolvendo iniciativas dessa natureza alcançarão, em 2025, a quantia de US$ 53 trilhões em todo o planeta.

No setor marítimo, a realidade não é diferente, onde 59% das empresas globais investem em sustentabilidade na cadeia logística.

Uma prova disso está na inovação que o navio Pyxis Ocean traz ao segmento, pois se trata de uma embarcação movida a propulsão eólica, portanto, uma excelente alternativa para descarbonizar o transporte marítimo.

Outras tendências do ESG no transporte marítimo são:

  • compensação do carbono,
  • criação de corredores verdes,
  • redução do uso de plástico descartável,
  • melhor manuseio de água de lastro.

Conheça o Plantio DC, a iniciativa da DC para gerar impactos positivos no planeta!

O ESG no transporte marítimo também faz parte do dia a dia da DC Logistics Brasil, quando no ano de 2010 uma proposta ecológica foi lançada pela empresa.

A DC planta uma árvore para cada carga fechada durante o mês de junho.

Como resultado, nesses 10 anos, já foram plantadas 55.301 árvores, uma ação que permitiu a captura de 262,96 toneladas de CO₂.

Esse projeto, chamado Plantio DC, é uma proposta de responsabilidade socioambiental, visando exercer a ética e a cidadania.

Além dessa iniciativa, contamos com muitas outras, que fazem parte do nosso Programa de Responsabilidade Socioambiental. A nossa sede tem estrutura conscientes, somos ponto de coleta do Projeto Lacre Amigo, apoiamos instituições locais anualmente e muito mais.

Dessa forma, a empresa reafirma o seu compromisso com a sustentabilidade, possibilitando que o nosso compromisso com a logística não influencie negativamente as gerações futuras.

Saiba mais sobre os nossos projetos na página do nosso Programa de Responsabilidade Socioambiental.

Compartilhe com amor, por favor:
Danilo Sena
Danilo Sena

Danilo é especialista em comércio exterior é executivo de negócios na multinacional Logistics Plus® e fundador da Soul International®, ambas buscam entregar soluções em logística internacional, aduana e transportes para importadores e exportadores. No seu tempo livre, compartilha seu conhecimento no Blog Soul, pratica CrossFit e se relaciona com pessoas sensíveis a uma boa conversa e um bom vinho.

Artigos: 35

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *